A Origem

A criação de cavalos Mangalarga Marchador da Escadinha, foi iniciada por Jaime Maciel Fernandes no início da década de 60. Conhecido selecionador de Nelore, mantinha desejo de começar a criar cavalos.

Jaime Fernandes segurando Romana filha de Catuni Tarzã e Catuni Cotovia

Jaime Fernandes segurando Romana filha de Catuni Tarzã e Cotovia

Começou com uma tropa de seu irmão Antônio Fernandes, um dos pioneiros a criador Mangalarga Marchador na Bahia, que teve seu criatório baseado em um cavalo da criação de Gabriel de Andrade, chamado Cromo. Em cima das filhas dele usou o reprodutor Catuni Tarzã.

Seu desejo sempre foi o de criar animais bonitos com boa marcha em andamentos equilibrados com boa estrutura e principalmente que a pelagem fosse pampa de preto.

Por sorte do destino, no ano de 1968 em Salvador, na Semana Nacional do Cavalo veio a essa exposição, o criador Urbano Junqueira de Andrade trazendo um cavalo de pelagem preto pampa que terminou sendo campeão.

O cavalo era o Sincero JB, um animal que até hoje é reconhecido no Brasil por suas qualidades, sendo referencia nos leilões e criações brasileiras. Sua descendência é percebida em vários criatórios e em pelo menos três associações de registro genealógico de cavalos no Brasil.

Não sendo coincidência, Jaime Fernandes comprou o Sincero e com ele iniciou o seu sonho de criar um rebanho pampa.

A eguada comprada de seu irmão foi vendida para o Estado do Pará e ficaram poucas éguas, o que fez com que fossem incorporadas outras matrizes.

Antonio Fernandes montando aos 95 anos

Antonio Fernandes montando aos 95 anos

Por sugestão de Urbano foi de que não encontrando éguas pretas ou pampas procurasse por tordilhas pedrês, pois segundo ele essa pelagem deixava muito pampa de preto.

Havia um grupo de “tordilhas”, na fazenda de um outro irmão de Jaime Fernandes onde havia filhas de um cavalo cria da Bela Vista, chamado Doca, trazido para a Bahia por seu sobrinho Neto Fernandes, também criador.

Neto Fernandes montou seu criatório em animais comprados em Cruzília e São Vicente de Minas, sendo famoso e campeões seus animais como Gagarim, Liturina e Bela vista, todos com sufixo Serra Verde.

O Doca vem a ser irmão perfeito da Bela Vista de Santa Lucia.

Leonardo Fernandes segurando Catuni Tarzã aos 13 anos de idade

Leonardo Fernandes segurando Catuni Tarzã aos 13 anos de idade

Foram escolhidas seis filhas do dele para serem padreadas pelo Sincero JB.

A tropa montada para o Sincero padrear eram as seguintes:

• Cotovia. Égua que foi comprada por Antônio Fernandes de Casimiro Colares, filha de Pedra Estanho (cria do Favacho).
• Saracura Rg 9044. Filha de Cotovia com Catuni Tarzan.
• Columbia. Filha de Cotovia com Catuni Tarzan.
• Romana. Filha de Cotovia com Catuni Tarzan.
• Saia Curta. Filha de Cotovia com Catuni Tarzan.
• Realeza. Filha de Catuni Tarzan
• Tulipa, filha de Pedra Estanho comprada de Vicente Leite
• Codorna. Filha de Doca da Bela Vista com égua do Sul de Minas (Cruzília e São Vicente).
• Nova América. Filha de Doca da Bela Vista com égua do Sul de Minas (Cruzília e São Vicente).
• Perdiz. Filha de Doca da Bela Vista com égua do Sul de Minas (Cruzília e São Vicente).
• Realeza. Filha de Doca da Bela Vista com égua do Sul de Minas (Cruzília e São Vicente).
• Safira. Filha de Doca da Bela Vista com égua do Sul de Minas (Cruzília e São Vicente).
• Vaidade. Filha de Doca da Bela Vista com égua do Sul de Minas (Cruzília e São Vicente).

Neto Fernandes ao lado Liturina, filha do Doca da Bela Vista

Neto Fernandes ao lado Liturina, filha do Doca da Bela Vista

Foram usados na criação os cavalos, Preludio do Porto, Herdade Garboso, Maestro de Santa Lúcia, Divisor da Escadinha, Fiscal da Escadinha, Herdade Favorito, Fidalgo da Escadinha, Ultimato de Santa Lucia, Nitrato da Escadinha, Pintado da Escadinha, Reator da Escadinha, estes quase todos já falecidos e em sua maioria inscritos no livro de mérito da Associação Brasileira dos Criadores de Mangalarga Marchador.

O sufixo “Escadinha” vem do nome de uma propriedade de Jaime Fernandes, situada na margem direita do Rio Jequitinhonha, onde os cavalos eram criados e engordava boi.

Hoje o criatório está sendo tocado por Jaime e seu filho Leonardo Fernandes

© Copyright - Haras Escadinha